Posts tagged Cidade Baixa
Marcas das boas causas

Num mundo polarizado e de discursos exaltados, é de se supor que as empresas tivessem receio de tomar posições e, com isso, desagradar aos consumidores. Mas, como dizia o poeta, a vida é real e de viés – está acontecendo o contrário. Uma parcela cada vez maior de marcas se arrisca a se posicionar frente a temas espinhosos, que estão na ordem do dia.

Um exemplo é a Profana, marca de roupas e acessórios femininos, com produção própria e duas lojas em Porto Alegre – na Cidade Baixa e na Galeria Chaves, no Centro Histórico. De uns tempos para cá, temas como feminismo, diversidade sexual, sustentabilidade ambiental e moda consciente estão cada vez mais presentes não apenas nas mensagens divulgadas em suas plataformas nas redes sociais, mas também nas estampas das peças expostas nas vitrines.

As empresas não adotam esse posicionamento por acaso. Pesquisas recentes mostram que marcas engajadas – aquelas que levantam bandeiras ou apoiam causas sociais – encontram boa acolhida junto aos consumidores.

Conforme levantamento da Edelman Earned Brand, divulgado em novembro de 2018, 69% dos brasileiros estão dispostos a comprar ou boicotar produtos em virtude da posição da marca em relação a temas que consideram relevantes – resultado que soma 13 pontos percentuais acima do registrado em pesquisa do ano anterior. 

“A nova geração de consumidores digitais aprendeu com o mundo online a contestar paradigmas, reforçando a necessidade de responsabilidade social na era das redes sociais”, avaliou estudo do Ipsos Global Reputation Center, segundo o qual 82% dos consumidores do Brasil se mostram favoráveis a marcas que contribuam para causas sociais.

Read More
As boas novas da Travessa

A Travessa dos Venezianos está cheia de novidades. Nos últimos tempos, novos projetos de bar, café e restaurante animam um dos redutos mais encantadores de Porto Alegre, localizado na Cidade Baixa, bairro tradicionalmente marcado pela boemia e a vida cultural. A ruazinha que interliga a Joaquim Nabuco e a Lopo Gonçalves une o presente e o passado como polo cultural e turístico que guarda muita história para ser contada.

O conjunto de 17 casas de pé-direito alto, com janelas e portas que se abrem diretamente para a calçada, foi construído no início do século XX para abrigar a população pobre do bairro, em especial antigos escravos e seus descendentes. Apareceu pela primeira vez no mapa da cidade em 1935 e foi tombado como patrimônio histórico e cultural em 1980.

Numa das casinhas, está o bar Guernica, que em pouco tempo – foi aberto em março deste ano – ganhou lugar cativo na agenda da comunidade alternativa da CB. É um dos pontos de maior prestígio no circuito underground da cidade, em boa parte devido ao ambiente de simplicidade e acolhimento da própria construção, complementado pelo atendimento próximo e despojado. Outros pontos fortes são o cardápio inspirado na gastronomia artesanal e vegana, além da programação musical de qualidade, com ênfase em samba, música latino-americana e ritmos nordestinos.

Especializado em cafés especiais, fica aberto da uma da tarde às nove da noite, de terça a domingo, na casinha do nº 36, na qual Darquilene Magalhães, a Darqui, morou com o companheiro, o geólogo Lucas da Motta, durante quatro anos. Quando nasceu o filho Ravi, o casal decidiu se mudar para local mais espaçoso e confortável. Então, transformou a moradia num espaço comercial, que, além de cafés especiais, também oferece comidinhas artesanais, algumas das quais produzidas pela própria dona, como o cheesecake e a coxinha vegana, além dos bolinhos.

As casas geminadas da Rua Joaquim Nabuco, localizadas próximas à esquina com a travessa, guardam sintonia com o ambiente da Venezianos. É o caso da construção que aloja o restaurante AlimentArte Consciente, no nº 401.

— Aqui vibramos na mesma energia da Travessa, assegura o filósofo Santiago Tesla, argentino da Patagônia. Ele é o chef de cozinha e também sócio do negócio gastronômico, junto com a relações públicas Letícia Lançanova.

O cardápio combina receitas veganas e vegetarianas com sucos naturais e sobremesas em clima casual, de terça a domingo em dois horários – de onze e meia da manhã às duas e meia da tarde para o almoço, reabrindo das seis e meia até onze da noite para o jantar. O nome do restaurante sugere um diálogo entre arte e gastronomia, indicando que tudo ali servido é resultado de muito cuidado e inspiração.

Read More
Moda e feminismo

Leila Diniz grávida de biquíni na praia de Ipanema, em 1971, com a barriga apontando para um Brasil tão ou mais conservador do que este que, atualmente, ostenta a quinta maior taxa de feminicídios do mundo, com uma mulher assassinada a cada duas horas, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Ou Madonna cantando Express Yourself durante a turnê Blond Ambition, no início dos anos 1990, com músculos à mostra por baixo de um corset com sutiã em forma de cone, dando ares de insubmissão a uma peça que, usada por baixo de anáguas e vestidos, por muito tempo representou um símbolo de feminilidade dócil, além de ferramenta para moldar o corpo feminino mediante aperto e marcação da cintura.

O que moda tem a ver com feminismo? Existe moda feminista? A moda pode ser um instrumento de expressão e luta da mulher? E qual é a contribuição das grifes dirigidas por mulheres nisso tudo?

Esses são alguns dos temas que estarão em debate na Conversa de Rua, evento aberto ao público que será realizado durante a 2ª Festa Jardim Profana, no sábado dia 23/3, a partir das cinco horas da tarde. O encontro acontece no sobrado que abriga a Loja Profana, na Rua Lima e Silva, 552, na Cidade Baixa. A iniciativa é do Rua da Margem, com mediação do jornalista Paulo César Teixeira, editor do portal, e participação de Joanna Burigo, Jajá Menegotto e Lu Trento.

Read More
Apaixonados por café

O visitante está curioso para conhecer o sabor dos tais cafés especiais e, além disso, é quase automático o gesto de emborcar a xícara tão logo é servida. Só que, antes do primeiro gole, ele escuta uma voz pausada:
.
– Calma, é melhor deixar o café esfriar um pouco, diz Daiana Dietzmann, responsável pela área de comunicação e marketing da Baden Torrefação de Cafés Especiais. Em seguida, ela complementa: – Espera uns minutinhos e bebe aos poucos. Deixa o café descansando. Enquanto ele descansa, a gente consegue entendê-lo melhor.
.
Rua da Margem visitou a torrefação da Baden para conhecer os encantos e decifrar os mistérios dos cafés especiais, um segmento que cresce a cada dia na preferência dos consumidores brasileiros.

Read More
O mapa da cerveja no Centro

É sabido que o principal polo cervejeiro de Porto Alegre – já apontada como capital brasileira das microcervejarias graças aos prêmios conquistados dentro e fora do País – está concentrado numa área de 2 km dos bairros São Geraldo e Anchieta, na região norte da cidade. Neste local, quase 100 mil litros são produzidos a cada mês.

O que pouca gente sabe é que, mesmo em menor escala, o Centro Histórico e a Cidade Baixa também produzem a cerveja que bebem.

Poucas vezes a linha de produção esteve tão perto do consumidor. Num cálculo aproximado, dá para dizer que a distância não ultrapassa quatro ou cinco quarteirões.

É o espaço que separa a sede da Continente, microcervejaria localizada na Rua Olavo Bilac, e o território de bares especializados em cervejas especiais da Cidade Baixa, o bairro mais boêmio de Porto Alegre. Aglutinados num pequeno trecho da Rua Lima e Silva, estão botecos como Infiel, Quentin, Osso Craft Bar e Cervejaria Piratini, entre outros.

Além da Continente, também a Macuco e o Devaneio do Velhaco produzem cervejas na área central da cidade.

Read More
Um exercício de tolerância

Após um incidente no qual um dos frequentadores se sentiu ofendido frente a comentários preconceituosos de colega, academia da Cidade Baixa se posiciona contra a homofobia e o racismo. “Para os que não sabem conviver com pessoas que consideram ‘diferentes’, a porta é a serventia da casa”, afirma o gerente Athos Souza, da RDM Fitness.

– A prioridade da RDM é assegurar um ambiente seguro e saudável para clientes e colaboradores. Não vamos tolerar qualquer tipo de preconceito de raça, gênero, orientação sexual ou religião, afirma Athos ao Rua da Margem. A seguir, reitera: – Quem não souber conviver em paz com pessoas que considera “diferentes” será convidado a se retirar.

A atitude assumida pela RDM não é isolada.

Uma loja de grifes sofisticadas, localizada na Rua da Consolação, no bairro Jardins, em São Paulo, colou um adesivo na porta com a seguinte frase: “Se você é racista, sexista ou homofóbico, por favor não entre!”.

Read More
A arte da moda

A roupa ideal é a que faz a pessoa feliz.

Em síntese, a frase define a Profana, marca de moda feminina criada em Porto Alegre em 1996, atualmente com confecção própria e lojas instaladas em pontos centrais da capital gaúcha – na Rua Lima e Silva, na Cidade Baixa, e na Galeria Chaves, no Centro Histórico.

A ideia é que a roupa seja parte indissociável da personalidade de quem a veste. Em outras palavras, a escolha de vestidos, saias, casacos e calçados exprime valores, sentimentos e desejos.

Não por outra razão, o que move a marca é a busca por um modo de vestir que escape do lugar comum.

Read More
Arte no Alto da Bronze

Um espaço múltiplo e efêmero, aberto a experimentações e práticas artísticas contemporâneas. 

É como se define a Bronze Residência, estúdio aberto a experimentações e práticas artísticas contemporâneas, que se constitui no novo polo de cultura e inovação no Centro de Porto Alegre.

O formato inovador e inquieto do espaço espelha a inquietação e a criatividade de Andressa Cantergiani, artista performática que exerce a gestão da casa.

– Não temos a intenção de ser uma galeria comercial, esclarece Andressa, para começo de conversa.

Bem que o espaço poderia ser denominado Open Studio ou Studio Visits, mas Andessa prefere chamá-lo de Project Space, termo abrangente que abraça a diversidade de ações ali desenvolvidas, que incluem residências artísticas, oficinas, grupos de estudo, espetáculos de teatro e performance e até exposições.

Read More