1 ano de Rua da Margem

comemoração é no sábado, dia 8/dez, no bar Carmelita, na Cidade Baixa

 No Carmelita (acima), estreia  Conversa de Bar ,  talk-show  no ambiente de boteco com a participação da galera atuante na cena criativa da cidade (Foto/ Rivail Teixeira)

No Carmelita (acima), estreia Conversa de Bar, talk-show no ambiente de boteco com a participação da galera atuante na cena criativa da cidade (Foto/ Rivail Teixeira)

Sessenta e sete matérias, 64 mil leitores (*), incontáveis histórias, muitos novos lugares e personagens descobertos pela cidade.

O portal Rua da Margem completa um ano de atividades com destaque para projetos e iniciativas que contribuem para que os porto-alegrenses sintam orgulho do lugar onde vivem. Para comemorar, nada mais natural do que uma conversa de bar descontraída. E ela vai acontecer no sábado, 8/12, a partir das 7 horas da noite, quando a plataforma reunirá leitores, apoiadores e amigos no Bar Carmelita, na Travessa do Carmo, 54 (junto ao Largo da Epatur, na Cidade Baixa), ao som do DJ Kafu S.

Rua da Margem traz reportagens do jornalista e escritor Paulo César Teixeira, autor de Esquina Maldita e Nega Lu – Uma Dama de Barba Malfeita, com design gráfico e produção executiva de Luísa Rosa. A revista eletrônica conta com apoio da Profana, marca de moda feminina com lojas na Cidade Baixa e Galeria Chaves.

O evento de aniversário vai marcar a estreia de Conversa de Bar – um talk-show no ambiente de boteco, com a participação da galera atuante na cena criativa da cidade.

– A ideia é que seja a primeira de muitas edições que terão continuidade em 2019, anuncia Paulo César, o Foguinho, com textos publicados em Istoé, Veja, Época, Carta Capital, Folha de S. Paulo, Diário do Sul e Zero Hora ao longo de mais de 30 anos como jornalista

Saiba quais são os convidados da primeira edição de Conversa de Bar:

Joicy Gama – Carioca radicada em Porto Alegre há dez anos, Joicy construiu uma trajetória vitoriosa à frente do Porto Carioca, bar que acolhe a diversidade do público da Cidade Baixa, sem distinção de gênero, grana, cor ou religião.

Roberta Dias - Levanta a bandeira de quem faz. E de quem faz de tudo pra que mais gente faça e pra que fique cada vez mais fácil de fazer. Cofundadora do Cura POA e criadora do Trampolim.

Ricardo Pont – Jornalista e DJ com presença constante em bares como Ocidente, Venezianos Pub Café e Espaço Cultural 512, participou ainda de festas itinerantes que marcaram época na cidade, a exemplo de Carlotas e Cadê Tereza?.

 Evento de lançamento do  Rua da Margem  em dezembro de 2017, no pátio do Espaço Cultural 512,

Evento de lançamento do Rua da Margem em dezembro de 2017, no pátio do Espaço Cultural 512,

amigos novos e antigos

A comemoração de aniversário do Rua da Margem terá como cenário um dos bares mais acolhedores da Cidade Baixa, o Carmelita, boteco sob a batuta dos irmãos Paulo Pio e Bia Cardozo.

Não é exagero afirmar que o Carmelita é a versão intimista do Zelig, outra criação de Paulo e Bia, que foi uma das principais referências da cena boêmia da capital gaúcha durante 27 anos – de 1986 até 2013.

Alojado num sobrado da Rua Sarmento Leite, o Zelig – nome inspirado no personagem homônimo do filme de Woody Allen, de 1983 – reunia na Cidade Baixa um público formado principalmente por artistas, jornalistas, publicitários e arquitetos.

Além de shows de artistas locais, como Nei Lisboa, Nenhum de Nós, Bebeto Alves, Frank Jorge e tantos outros, o Zelig também recebeu espetáculos do Centro do País, como os de Arrigo Barnabé e Lobão. Fora isso, o bar era parada obrigatória de músicos como Luiz Melodia, Alceu Valença e Ed Motta com suas bandas e equipes de produção durante as turnês na capital gaúcha.

Alceu Valença ficou tão íntimo que não se furtava a invadir a cozinha para dar conselhos a respeito da melhor forma de preparar os pratos que escolhia. Já Ed Motta trazia os vinis de sua coleção particular para animar as festas do Zelig.

Nas últimas décadas, Paulo Pio se revelou um talentoso idealizador de bares em Porto Alegre. Não bastassem o sucesso e a longevidade do Zelig, também participou da montagem de pubs famosos como o Dr. Jeckyll e da reformulação do Garagem Hermética, na segunda fase da casa da Rua Barros Cassal, já na década de 2000, sob o comando de Fernando Nazer.

Depois de tantas andanças, Pio criou o Carmelita para realizar um sonho antigo.

– Queria um bar num espaço menor para receber os amigos, diz.

Isso explica o clima aconchegante do ambiente, que abriga uma agenda cultural repleta de atrações. O pequeno palco junto à janela envidraçada emoldura shows de Wander Wildner, Izmália, Flávio Flu, King Jim e Jimi Joe, entre outros. Para dançar, a pedida é o Bailinho Anos 1980/1990 com o DJ Márcio Paz, que mistura soul, reggae, rock, pop e algumas macarenas.

O cardápio do Carmelita tem opções simples e saborosas, a exemplo do churrasquinho paulista – pão, bife e queijo na grelha –, além do entrecot com batatas e o sanduíche vegetariano. Como não podia deixar de ser, o bar oferece uma gama de cervejas especiais e convencionais para ninguém botar defeito.

Pio planeja reformar o espaço, mas não é para contar para ninguém. O lay out ainda é segredo, mas uma coisa é certa: o Carmelita vai ficar ainda mais convidativo e confortável para receber os novos e velhos amigos da casa.

(*) O dado indica a quantidade de visitas únicas ao site ao longo do primeiro ano de atividades.